terça-feira, 26 de março de 2013

FRP – A MINHA MEMÓRIA DA INQUISIÇÃO


Alice Lázaro, Editora Caleidoscópio, 336 páginas (brochado), ISBN 978-989-8129-26-0, 2007
A partir de uma memória existente na Torre do Tombo, a autora reconstitui o tempo e as circunstâncias histórico-políticas de Fernão Roiz Penso, homem de negócios muito influente na corte de D. João IV, preso pela Inquisição. O documento fala da sua vivência nos anos subsequentes à Restauração e nos reinados seguintes.
A reconstituição aqui apresentada centra-se num período abrangido, entre 1672 e 1684.
Aborda as relações de poder entre a coroa e a igreja naquele período, em cujos laços o autor do manuscrito acabou por cair, visto ser cristão-novo, nascido em Castela durante a união dinástica e das suas relações particulares, onde se incluem vultos da cultura e da sociedade coevas.
Evidencia propositadamente, os aspectos burocráticos do tribunal do Santo Ofício, para expor o lado político-ideológico da sua acção, contrastante com a atitude esperada numa instituição de carácter confessional, desenvolvido com uma evidente preocupação sobre a intolerância. 
***
Sobre a autora:
Alice Lázaro exerceu a actividade de professora de História do ensino secundário durante mais de duas décadas. Durante esse período desempenhou tarefas como orientadora pedagógica de estágio integrado além de se ter dedicado ao estudo e divulgação do património local, tendo sido monitora e formadora de docentes nesta área.
No âmbito do estudo do património escolar – do antigo ensino industrial – fez pesquisa sobre materiais didácticos e actividades docentes, relativas ao último quartel do século XIX, em Portugal de que resultaram os estudos que levaram à sua dissertação de Mestrado em História da Arte, publicada em 2002 pela Câmara Municipal de Coimbra – Património de Coimbra – sob o título: Leopoldo Battistini: Realidade e Utopia – a influência de Coimbra no percurso estético e artístico do pintor italiano em Portugal (1889-1936).
Tem feito contribuições esporádicas com artigos da sua autoria em obras de colaboração, nomeadamente, Dicionário da História dos Descobrimentos Portugueses, direcção de Luís Albuquerque (Círculo de Leitores), em artigos de imprensa periódica e local e em conferências, versando o património e o ensino.
Nos últimos anos tem-se ocupado na investigação de fundos documentais existentes no ANTT (Torre do Tombo). Como resultado desse trabalho minucioso têm vindo a público obras de divulgação desses materiais com a devida contextualização histórica das quais destacamos os três volumes sob o título comum CAVALEIROS DE SANTIAGO SENHORES DA LAGOALVA.